Espermograma » Instituto Afeto

Espermograma

O espermograma é o principal exame realizado na avaliação diagnóstica da fertilidade masculina. A técnica pode detectar condições físicas, genéticas ou imunológicas que correspondam a alterações espermáticas e que, por consequência, possam prejudicar a produção ou a qualidade dos espermatozoides. 

Quando um casal inicia o acompanhamento médico para investigar as causas que dificultam a gravidez, o espermograma é solicitado como primeiro instrumento de avaliação do quadro masculino, devido à sua precisão nos resultados. A partir dos aspectos identificados, é possível estudar as opções de tratamento e definir a técnica de reprodução assistida mais apropriada para cada caso.

Além da investigação das causas de infertilidade, o espermograma também é um procedimento necessário para acompanhar o resultado de vasectomia ou de reversão da esterilização masculina.

Para saber mais sobre a realização do espermograma e os tipos de análises realizadas com esse exame, continue a leitura deste texto!

Como o espermograma é feito

O espermograma é feito a partir da coleta de uma amostra de sêmen, obtida normalmente por meio da masturbação. O material deve ser coletado em ambientes específicos do próprio laboratório de análises ou enviado no prazo máximo de uma hora, quando a coleta é feita em casa.

O profissional responsável pela análise da amostra seminal faz uma avaliação descritiva do material recolhido, com base em vários critérios, sobretudo os aspectos físicos do esperma (volume, viscosidade, coloração etc.), as características morfológicas dos gametas e sua capacidade de movimentação. 

Para obter mais precisão nos resultados, podem ser realizadas análises de duas amostras diferentes, com um intervalo de no mínimo duas semanas entre elas. Caso a avaliação comparativa apresente dados muito discrepantes, pode haver necessidade de uma terceira coleta. 

Para realizar o espermograma, o homem precisa manter abstinência sexual por no mínimo três dias, assim como evitar qualquer outra atividade que provoque ejaculação. Com exceção da privação sexual, não há necessidade de nenhum cuidado preparatório, como jejum alimentar ou outra orientação.

Tipos de análises realizadas

Os aspectos analisados no espermograma seguem uma ordem: primeiro é feita a avaliação macroscópica, considerando as características físicas do esperma; em seguida, são avaliados os critérios microscópicos, para verificar a qualidade dos espermatozoides; por último, a análise é voltada para a quantidade de leucócitos e de outros compostos presentes no sêmen. 

Entenda os principais aspectos avaliados no espermograma!

Análise macroscópica

A avaliação macroscópica observa a coloração do sêmen, o volume total ejaculado, a viscosidade e o pH da substância.

Em termos de coloração, o esperma deve se apresentar como branco e opalino (leitoso). Em relação ao volume total ejaculado, é esperada quantidade superior a 1,5 ml. A viscosidade, por sua vez, é descrita como normal ou anormal. Quando há alterações nesse aspecto, pode haver disfunções glandulares. Já o pH está dentro da normalidade quando apresenta valores iguais ou maiores que 7,2. 

Qualquer dado discrepante com os parâmetros determinados como normais, indica problemas nas funções reprodutivas masculinas. Conforme a especificidade dos resultados, é proposta a melhor forma de tratamento. 

Análise microscópica

A análise microscópica da amostra de sêmen investiga características relativas à concentração de espermatozoides no ejaculado, número total de gametas, vitalidade, motilidade e morfologia das células germinativas.

De acordo com os padrões de concentração, a quantidade esperada é de pelo menos 15 milhões de espermatozoides por ml de líquido seminal — sendo que o número total de gametas está dentro da normalidade quando igual ou superior a 39 milhões. Para atender aos parâmetros de vitalidade, no mínimo 58% das células sexuais devem estar vivas no sêmen. 

Em termos de motilidade, os espermatozoides são observados quanto à sua capacidade e sentido de mobilização: de forma direcional e contínua, em pequenos círculos ou sem mobilidade. Tendo essas características em vista, os gametas são classificados como móveis progressivos, móveis não progressivos e imóveis. O ideal é que a quantidade de gametas móveis e progressivos seja maior que 32%. 

Por fim, a avaliação morfológica dos espermatozoides é feita por partes, isto é, ao observar separadamente a cabeça, porção intermediária e a cauda dos gametas, é possível identificar quando há defeitos estruturais. Os que apresentam cabeça oval, com corpo e cauda sem alterações têm chances aumentadas de sucesso no momento da fertilização.

Diagnósticos obtidos com o exame

Com o exame do espermograma, são avaliadas as condições da fertilidade masculina. Os resultados possíveis são os seguintes:

Todas essas alterações comprometem as funções reprodutivas do homem e devem ser acompanhadas de perto por casais que planejam ter filhos. Diante de condições como as que são identificadas no espermograma, a FIV (fertilização in vitro) é considerada o tratamento padrão para a infertilidade, em especial quando os fatores masculinos são de maior gravidade.