Epididimite » Instituto Afeto

Epididimite

Epididimite é a inflamação dos epidídimos, ductos localizados na parte posterior de cada um dos testículos que armazenam os espermatozoides após serem formados até que adquiram motilidade. Os espermatozoides passam por um processo de amadurecimento nos epidídimos, antes de entrarem no canal deferente e seguirem até a vesícula seminal.

Embora ocorra principalmente durante a fase sexualmente ativa, a epididimite pode afetar homens de todas as idades, incluindo crianças.

Há duas manifestações da epididimite: aguda ou crônica. Na fase aguda, sintomas ocorrem repentinamente e facilitam a identificação da doença. No entanto, se não for precocemente diagnosticada e tratada, a inflamação se desenvolve lentamente, tornando-se persistente e crônica, quando os riscos de infertilidade são maiores. 

Entenda a epididimite neste texto. Ele aborda as causas que provocam o processo inflamatório, os sintomas que indicam a necessidade de procurar auxílio médico, métodos diagnósticos e tratamentos. 

Quais são os sintomas de epididimite?

A epididimite aguda geralmente é sinalizada por sintomas como dor em um ou ambos os testículos, inchaço e vermelhidão da região afetada. Quando se torna crônica, a dor é incômoda e aumenta em intensidade com a progressão da infecção.

No entanto, de acordo com o que provocou a inflamação, outros sintomas também podem ocorrer. Os mais relatados são: 

Os sintomas são rapidamente aliviados com o tratamento quando a epididimite é aguda. Ao se tornar crônica, no entanto, eles tendem a se manifestar de forma recorrente. 

Quais são as causas da epididimite?

Em homens sexualmente ativos, a epididimite é geralmente causada por infecções sexualmente transmissíveis, ainda que também possa resultar da disseminação de outros processos inflamatórios. Nos casos em que ocorre como consequência de inflamações no trato urinário, pode afetar homens de qualquer idade.

A bactéria Mycobacterium tuberculosis, responsável pela maioria dos casos de tuberculose, pode ainda provocar o desenvolvimento de epididimite crônica, causando, nesse caso, pequenos nódulos inflamatórios. 

A inflamação provoca a formação de aderências, que dificultam o transporte dos espermatozoides, inibindo, consequentemente, a fecundação. Além disso, em estágios mais avançados, resulta em abscessos no escroto e em uma condição chamada orquiepididimite, geralmente dolorosa. 

O risco de a inflamação no epidídimo ocorrer é ainda maior em algumas situações: 

Quais são os métodos para diagnosticar a epididimite? 

A epididimite é diagnosticada a partir da realização de diferentes exames, que, da mesma forma, descartam a possibilidade de outras condições que manifestam sintomas semelhantes. 

Exames sorológicos: exames sorológicos são obrigatoriamente realizados para identificar bactérias transmitidas durante o contato sexual.

Teste de urina: para confirmar ou descartar a possibilidade de a epididimite ser causada por infecções no trato urinário, identificando a bactéria.

Exames de imagem: são importantes para avaliar os testículos e possíveis danos provocados pela inflamação, assim como descartam a incidência de outras condições. Geralmente são indicados o ultrassom dos testículos e mais raramente a ressonância magnética (RM). 

A partir dos resultados diagnósticos, é possível definir o tratamento mais adequado para cada paciente. 

Quais são os tratamentos para epididimite?

O tratamento para epididimite pode ser farmacológico ou cirúrgico: 

Farmacológico: o tratamento farmacológico é o mais comum, realizado por antibióticos, prescritos de acordo com o tipo de bactéria. Em cerca de 72 horas, já é possível perceber o alívio dos sintomas. Para confirmar a cura, é importante fazer novo rastreio após o término da medicação.

Nos casos em que o processo inflamatório resulta de ISTs, a parceira deve ser diagnosticada e medicada. 

Cirúrgico: a cirurgia é indicada quando o processo inflamatório provoca maiores danos, como a formação de abscessos, para drená-los ou para a remoção de aderências. Em alguns casos, o epidídimo também pode ser removido, parcialmente ou na totalidade. 

Durante o tratamento, geralmente é recomentada a abstinência sexual, evitar levantar objetos pesados e a prática de qualquer tipo de atividade que possa impactar a região testicular.