Hipotireoidismo » Instituto Afeto

Hipotireoidismo

Hipotireoidismo é um distúrbio da tireoide que causa a diminuição ou interrupção dos hormônios produzidos pela glândula. Os baixos níveis hormonais podem causar diferentes complicações para a saúde, incluindo infertilidade, uma vez que eles também atuam no processo de ovulação ou na produção dos gametas masculinos.

Este texto explica o hipotireoidismo, abordando as causas, os sintomas que indicam a necessidade de procurar auxílio médico, a forma como ele interfere na fertilidade, diagnóstico e tratamento. 

O que provoca o hipotireoidismo?

Uma doença autoimune chamada tireoidite de Hashimoto é considerada a causa mais comum de hipotireoidismo. Ela interfere no processo de produção dos hormônios, ao originar anticorpos que atacam erroneamente a tireoide.

No entanto, outras condições podem provocar a baixa produção dos hormônios tireoidianos, entre elas os medicamentos utilizados para o tratamento de hipertireoidismo, que, ao contrário, estimula o aumento excessivo da produção: os medicamentos podem agir mais intensamente, provocando maior redução e, dessa forma, resultando em hipotireoidismo permanente.

Terapias de radiação para neoplasias de cabeça e pescoço também interferem na produção ou mesmo quando a doença tem como consequência a remoção da tireoide, em parte ou na totalidade. Nesse caso, a massa total de células tireoidianas que permanece pode não ser suficiente para atender às necessidades do organismo.

Além disso, quando ocorre o crescimento de tumores na glândula pituitária (hipófise), mesmo os benignos, eles podem alterar os níveis do hormônio estimulante da tireoide (TSH), resultando em hipotireoidismo. 

Medicação para o tratamento de doenças psiquiátricas pode, da mesma forma, provocar a baixa produção de hormônios, assim como, mais raramente, problemas congênitos ou a deficiência de iodo. 

Quais são os sintomas de hipotireoidismo?

Embora o hipotireoidismo seja assintomático nos estágios iniciais, o que dificulta o diagnóstico precoce, à medida que se desenvolve, causa diferentes sintomas, que surgem de acordo com a gravidade da deficiência hormonal.

Os sintomas mais relatados por pacientes são: 

É importante ficar atento aos sintomas, pois o diagnóstico e o tratamento precoces evitam a manifestação deles e, ao mesmo tempo, complicações, incluindo infertilidade. Por outro lado, o hipotireoidismo geralmente tende a repetir em outros familiares: filhos de pais com o distúrbio, principalmente mulheres, tendem a herdá-lo.

Como o hipotireoidismo pode afetar a fertilidade?

O hipotireoidismo pode interferir de diferentes formas na fertilidade feminina:

Provoca distúrbios de ovulação: os hormônios tireoidianos também são importantes para o desenvolvimento e maturação dos folículos, da mesma forma que os hormônios sexuais e as gonadotrofinas FSH e LH. Assim, a diminuição deles consequentemente interfere no processo ovulatório, causando distúrbios de ovulação.

Altera a receptividade endometrial: também tende a provocar variações no período mais receptivo do endométrio para receber o embrião, causando, dessa forma, falhas na implantação e abortamento.

Aumenta o risco de complicações na gravidez: quando o hipotireoidismo é causado pela tireoidite de Hashimoto, há maior risco de aborto espontâneo, parto prematuro e pré-eclâmpsia durante a gravidez, principalmente quando ele não é adequadamente tratado. Abortos repetidos também são associados ao hipotireoidismo subclínico, um tipo menos severo da doença.

Afeta a produção de testosterona: no homem o hipotireoidismo também pode afetar a produção de testosterona, principal hormônio masculino envolvido no processo de produção dos espermatozoides. Ou seja, alterações nos níveis do hormônio comprometem a produção e, consequentemente, a fertilidade. 

Como o hipotireoidismo é diagnosticado?

Para diagnosticar o hipotireoidismo, podem ser realizados os seguintes testes: a análise dos níveis de TSH, hormônio produzido pela hipófise, que estimula a produção dos hormônios tireoidianos triiodotironina (T3) e tiroxina (T4), e, em alguns casos, a análise da tiroxina. Quando os níveis de TSH estão acima do normal e de tiroxina abaixo, há baixa produção pela tireoide. Além destes, marcadores imunológicos como anti-peroxidase (anti-TPO) e anti-tireoglobulina podem auxiliar no diagnóstico da causa autoimune.

Os resultados contribuem para o controle dos níveis hormonais e dosagem do medicamento.

Qual o tratamento para hipotireoidismo?

Ainda que o tratamento para o hipotireoidismo seja diário e deva ser mantido por toda a vida, é bastante simples, da mesma forma que a dosagem é ajustada de acordo com a variação dos níveis.

É realizado pela terapia de reposição com o hormônio tireoidiano sintético, que regulariza a produção dos hormônios tireoidianos, alivia os sintomas e regula os níveis dos hormônios envolvidos no processo reprodutivo.

Após o equilíbrio dos níveis, o hipotireoidismo não costuma afetar a fecundação e a implantação do embrião nem provocar abortamentos.