Orquite » Instituto Afeto

Orquite

A orquite é uma patologia masculina causada por infecções bacterianas ou virais que levam ao desenvolvimento de um processo inflamatório nos testículos.

A orquite viral, frequentemente, é consequência da caxumba, se desenvolve cerca de seis dias após o início da doença e afeta principalmente meninos na pré-puberdade ou puberdade. 

Em homens adultos, por outro lado, o processo inflamatório na maioria dos casos resulta de infecções sexualmente transmissíveis (ISTs), como clamídia e gonorreia. 

A inflamação pode afetar um ou ambos os testículos e, embora seja facilmente tratada, quando isso não acontece, pode provocar complicações, como atrofia testicular e abscesso escrotal (pus no tecido infectado). Se ocorrer nos dois testículos, altera a produção de testosterona, condição conhecida como hipogonadismo, causando, consequentemente, infertilidade. 

Entenda mais sobre a orquite neste texto. Ele explica as causas, sintomas que alertam para a necessidade de procurar um médico, diagnóstico e tratamentos. 

O que provoca orquite?

Veja as principais causas de orquite bacteriana e viral: 

Orquite bacteriana: ainda que seja frequentemente causada por ISTs, a orquite bacteriana pode, ao mesmo tempo, resultar de outras inflamações que afetam o sistema reprodutor masculino, incluindo epididimite, que acomete os epidídimos, com riscos de evoluir para uma condição chamada epidídimo-orquite, normalmente bastante dolorosa. 

Também pode ser consequência da prostatite, inflamação da próstata, ou de infecções que acometem o trato urinário, que tendem a se espalhar e resultar em orquite. 

Orquite viral: além de ser consequência da caxumba, pode, mais raramente, ser provocada pelo vírus Epstein-Barr, da família herpes, bastante comum e associado à mononucleose infecciosa, conhecida popularmente como ‘doença do beijo’, que afeta o sistema imunológico. 

Quais sintomas indicam a possibilidade de orquite?

Inchaço e dor nos testículos são os principais sintomas que alertam para o problema e geralmente se manifestam repentinamente. No entanto, também podem ocorrer outros sintomas, incluindo: 

É importante procurar auxílio médico se houver a manifestação de qualquer sintoma, principalmente dor súbita. Da mesma forma que altera a fertilidade, em estágios mais evoluídos a orquite pode levar a perda dos testículos ou complicações maiores. 

Como a orquite é diagnosticada? 

Além dos sintomas, principalmente a manifestação de dor súbita, a suspeita de orquite é inicialmente confirmada pelo exame físico, que possibilita a detecção de características como assimetria testicular, secreção peniana, sensibilidade ou inchaço dos testículos. 

No entanto, por serem também comuns a outras condições, para diagnosticar a orquite, normalmente são indicados diferentes exames laboratoriais e de imagem, que confirmam o processo inflamatório e excluem a incidência de outras patologias. 

Exames Laboratoriais

Exames sorológicos: o rastreio para infecções sexualmente transmissíveis é obrigatório quando há suspeita de orquite;

Teste de urina: para confirmar se a causa foram infecções no trato urinário identificando o tipo de bactéria;

Teste hormonal: importante para analisar os níveis de testosterona, principalmente quando há suspeita de infertilidade;

Exames de imagem

O exame de imagem mais solicitado é a ultrassonografia dos testículos, que avalia os testículos inflamados e indica se o processo inflamatório resultou de inflamações como epididimite ou prostatite. 

Os resultados diagnósticos orientam para a abordagem terapêutica mais adequada para cada paciente.

Como a orquite é tratada?

O tratamento da orquite pode ser farmacológico ou cirúrgico. A cirurgia, entretanto, é apenas indicada quando a inflamação evolui para estágios mais graves. Algumas medidas também podem ser adotadas para reduzir o desconforto provocado pela inflamação.

Tratamento farmacológico

Orquite bacteriana: a orquite bacteriana é tratada por antibióticos, prescritos de acordo com o tipo de bactéria que causou a inflamação. Nos casos em que as bactérias são sexualmente transmissíveis, a parceira ou parceiro também devem ser tratados para evitar nova contaminação. 

Os efeitos já podem ser percebidos cerca de 72 horas após a administração do medicamento. A sensibilidade dos testículos, entretanto, pode permanecer ainda por algumas semanas. Para confirmar a cura, o rastreio deve ser novamente repetido após o término da medicação. Se houver necessidade, o tratamento deve ser repetido. 

Orquite viral: quando a orquite é provocada por vírus, são indicados anti-inflamatórios não-esteroides (AINEs) para combater a inflamação e aliviar os sintomas. Na orquite viral, os resultados são mais rápidos, embora a sensibilidade testicular também possa permanecer. 

Tratamento cirúrgico

A cirurgia é indicada se houver a formação de abscesso, para drená-los. Quando a orquite evolui para estágios mais graves, se torna recorrente e não é curada com o tratamento. Nos casos em que não há cura, pode ser necessária a realização de orquiectomia, procedimento de remoção de um ou ambos os testículos. 

Medidas para aliviar o desconforto

A aplicação de compressas de gelo no local e o uso de um suporte atlético (tipo suspensório) ajudam a diminuir o desconforto provocado pela inflamação.