Tenho mioma: posso engravidar? » Instituto Afeto

Tenho mioma: posso engravidar?

O processo de reprodução é muito complexo e envolve diversos aspectos e sistemas do corpo. Para que ele aconteça corretamente é necessário que a mulher esteja saudável e com bons parâmetros de fertilidade.

Doenças e alterações no organismo, como o desequilíbrio hormonal, podem causar a infertilidade feminina em alguns casos. Dessa forma, a mulher tende a encontrar dificuldades para engravidar.

Os miomas uterinos são um tipo de tumor na maior parte das vezes benigno, que podem desenvolver em algumas mulheres durante a idade reprodutiva. Surgem a partir do crescimento anormal de células do miométrio, camada intermediária de revestimento do útero.

São classificados em tipos de acordo com a sua localização. Alguns podem interferir na fertilidade, causando, por exemplo, distorções na anatomia do útero e na implantação do embrião, dificultando o processo de reprodução.

Ainda assim, mulheres com essa condição podem passar pelo tratamento adequado, manter a qualidade de vida e realizar procedimentos que a ajudem a alcançar a gravidez.

Nesse texto, conheça os tipos de miomas, entenda a sua relação com a infertilidade e saiba como essas mulheres podem engravidar.

O que são miomas e quais os tipos encontrados?

Os miomas são considerados tumores benignos, raramente associados ao câncer e encontrados em três tipos, sendo diferenciados pelo seu local de crescimento.

Os subserosos são os mais externos e não causam muitos sintomas ou complicações para a saúde da mulher. Somente quando encontrados em tamanhos maiores podem causar inchaço e comprimir órgãos próximos como o intestino e a bexiga, resultando em constipação e micção frequente.

Os miomas intramurais crescem na parede uterina e podem variar de tamanho, sendo normalmente assintomáticos quando em dimensões menores. Quando os tumores são maiores, podem causar sangramentos intensos e cólicas severas, interferindo também na fertilidade ao provocarem distorções na anatomia uterina, dificultando ou impedindo o desenvolvimento da gravidez.

Já os submucosos estão localizados no interior da cavidade uterina e são os mais relacionados com a infertilidade da mulher. Também causam cólicas e um aumento do fluxo menstrual. Esse tipo de mioma pode causar falhas de implantação embrionária, abortos de repetição, partos prematuros, descolamento da placenta e hemorragia após o parto.

Qual a relação dos miomas com a infertilidade?

Após a ejaculação e a liberação dos espermatozoides no corpo da mulher, os gametas se encontram nas tubas uterinas para a fecundação do óvulo. Posteriormente, o embrião formado pela divisão celular se direciona ao útero para se fixar no endométrio, camada de revestimento interno do órgão.

Para que este processo ocorra, a mulher deve estar saudável e com seus órgãos do sistema reprodutor em boas condições. Os miomas podem interferir nessa etapa de diferentes formas.

Podem, por exemplo, causar obstrução no óstio tubário e impedir a fecundação, ou interferir na implantação do embrião, que pode não acontecer de maneira correta, levando a abortamentos. Quando o embrião se fixa, as chances de um parto prematuro ou da interrupção da gestação são maiores.

Além disso, tende a alterar a anatomia do útero, dificultando o desenvolvimento da gravidez, assim como oferece riscos de complicações durante a gravidez, para a mãe e para o feto, como descolamento da placenta e parto prematuro.

Por isso, é importante que a mulher realize o tratamento da doença antes de tentar engravidar, seja de forma natural ou por reprodução assistida.

Como a reprodução assistida pode ajudar em casos de miomas?

Mulheres que têm o sonho de engravidar e sofrem com a presença dos miomas podem procurar a reprodução assistida. É importante que passem inicialmente pelo tratamento para evitar interferências no sucesso da gestação.

Uma análise detalhada é feita para identificar a localização e o tamanho do mioma. Dessa forma, a intervenção pode ser feita desde um acompanhamento periódico do tamanho, pelo uso de medicamentos hormonais ou pela retirada do mioma.

Para alcançar a gravidez, a principal técnica indicada é a fertilização in vitro (FIV), um método muito avançado da medicina reprodutiva. É muito utilizada em situações mais graves, pois possui recursos eficientes em diferentes situações.

Na FIV a fecundação acontece de forma manipulada em laboratório e a mulher pode passar por um preparo endometrial com medicamentos hormonais para aumentar a espessura do endométrio e deixá-lo receptivo para receber o embrião.

Quando isso acontece, o embrião é transferido ao útero para se fixar e iniciar a gravidez. Com a confirmação, toda a gestação é acompanhada por meio de ultrassonografias para garantir a saúde da mãe e do feto.

Existem diferentes possibilidades de procedimentos para aumentar as chances de gravidez e diminuir os riscos de complicações para a mulher e o bebê durante a gestação.

Se este assunto é interessante para você, não deixe de ler mais sobre os miomas uterinos e conhecer as melhores formas de diagnóstico e tratamento dessa patologia.